segunda-feira, 12 de setembro de 2011

ESTUDO BÍBLICO: CORNÉLIO – Um homem que buscava a Deus


CORNÉLIO – Um homem que buscava a Deus

Texto Base: Atos 10
Versículo Central: At. 10.2. “Ele era um homem religioso; ele e todas as pessoas da sua casa adoravam a Deus. Cornélio ajudava muito os judeus pobres e orava sempre a Deus.

Certamente aconteceram diversas histórias de conversões que não foram retratadas ou registradas no livro de Atos. Lucas, inspirado por Deus, faz questão de relatar o novo nascimento (Jo. 3.3) do centurião romano chamado Cornélio.
Qual a real razão que existiu naquele contexto para que Lucas registrasse esse fato? O que tinha Cornélio de tão especial? Que fato tão relevante existiu por traz dessa história?
Vamos analisar alguns fatos que poderão esclarecer estes questionamentos citados. Entendamos o contexto que encontramos em Atos 10.
Cornélio era um centurião do Império Romano, ou seja, era um oficial que comandava um grupo de cem soldados do exército romanos. O Império Romano era a então força política de toda aquela região. Era um Império que subjugava a tudo e a todos que estavam sendo conquistados por eles. Um de seus maiores expoentes para suas conquistas era exatamente a força e organização de seu exército e, o grande responsável de manter essa harmonia era o centurião.
Poderíamos imaginar que um homem para se tornar um centurião precisava possuir algumas características peculiares:
1)   Possuir “mãos de ferro”;
2)   Ser fiel ao Imperador;
3)   Não se relacionar afetiva ou moralmente com os dominados;
4)   Manter o domínio do Império;
5)   Deter o poder e o respeito por meio da força.
Assim era o perfil do centurião Cornélio. No entanto, a Bíblia nos mostra outras características que o diferenciava dos demais centuriões romanos. Ele era religioso e todas as pessoas de sua casa adoravam a Deus. Além disso, ele ajudava os judeus pobres e sempre orava a Deus (At. 10.2).
Isso fez toda a diferença para esse homem. A Bíblia revela que um certo dia, enquanto Cornélio orava ao Senhor, lhe apareceu um anjo de Deus que faz uma das maiores esperanças do crente. O anjo disse: “Deus aceitou as suas orações e a ajuda que você tem dado aos pobres e ele não esqueceu você.” (At. 10.4). Ele continua dizendo que mandasse uns de seus homens buscar a Pedro que estava em Jope (At. 10.5).
Aqui começa dois mistérios bíblicos que caracterizam o verdadeiro amor de Deus para com a criação. Vejamos:
1)   Mesmo sendo Cornélio um homem religioso, ele não conhecia ainda o Senhor Jesus e não O tinha como seu Salvador. Ainda assim, Deus recebeu suas orações e não o esqueceu, tudo por causa de suas boas obras junto aos pobres (At. 10.4).
Isso nos mostra que a ação social da igreja é fundamental para mover a íntima compaixão de Deus. As obras sociais estão ligadas diretamente ao desejo de diminuir a injustiça social que Deus tanto ordena em toda a Sua Palavra.
Essas ações sociais realizadas por Cornélio abriu as portas e diminuiu a distância entre ele e Deus a ponto de Deus enviar um de seus anjos, especialmente para Cornélio e revelar a ele que todas as suas orações chegaram aos Ceús e foram aceitas por Deus. Dessa forma estava muito perto de ser completada a única lacuna que faltava na vida do Centurião. Com a chegada de Pedro, o anúncio e a revelação do amor, da vida, da morte, da ressurreição e da salvação por meio de Jesus Cristo estaria completa e sua vida seria transformada definitivamente.
Vocês conhecem a mensagem que Deus mandou ao povo de Israel, anunciando a boa notícia de paz por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. Vocês sabem o que aconteceu em toda a terra de Israel, começando na Galileia, depois que João pregou a sua mensagem a respeito do batismo. Sabem também como Deus derramou o Espírito Santo sobre Jesus de Nazaré e lhe deu poder. Jesus andou por toda parte fazendo o bem e curando todos os que eram dominados pelo Diabo, porque Deus estava com ele. Nós somos testemunhas de tudo o que ele fez na terra de Israel, inclusive em Jerusalém. E depois o mataram, pregando-o numa cruz.
Pedro continuou: — Porém Deus ressuscitou Jesus no terceiro dia e também fez com que ele aparecesse a nós. Ele não foi visto por todo o povo, mas somente por nós, que somos as testemunhas que Deus já havia escolhido. Nós comemos e bebemos com ele depois que Deus o ressuscitou. Jesus nos mandou anunciar o evangelho ao povo e testemunhar que ele foi posto por Deus como Juiz dos vivos e dos mortos. Todos os profetas falaram a respeito de Jesus, dizendo que os que creem nele recebem, por meio dele, o perdão dos pecados.” (At. 10.36-43).
Estavam naquela casa, além de seus donos, todos os melhores amigos e amigos mais íntimos de Cornélio e todos os seus servos. Todos estes escutavam a pregação de Pedro. E estando ainda o Apóstolo a falar, todos receberam o Espírito Santo e todos foram cheios e todos falavam      em línguas estranhas e todos louvavam grandemente a Deus (At. 10.44-45).
2)   Sendo Cornélio um romano, as leis judaicas não permitiam amizades com os “não judeus” e Pedro conhecendo muito bem esse fato, não queria aceitar o convite de Cornélio para ir ter com ele em sua casa. No entanto, antes dos enviados de Cornélio chegar à casa de Simão, o curtidor de couro, que morava a beira do mar, em Jope, Pedro foi orar e Deus, em visão, revela o que iria acontecer e que Pedro deveria ir a Cesareia.
Na visão, Deus mostrava como que um grande lençol cheio de todos os tipos de animais de quatro patas  e que se arrastam pelo chão e aves. E Deus mandava a Pedro matar e comer a todos os animais. Pedro questionou com Deus e disse que jamais comeu coisa alguma impura.
Porém, quando Pedro chegou a casa de Cornélio e viu toda aquela multidão que o esperava, ele entendeu que não poderia fazer nenhuma acepção de pessoas e não poderia considerar a ninguém de impuro ou sujo (At. 10.28), pois ele entendeu que aquele chamado tinha sido realmente de Deus e ele foi de bom grado (At. 10.29).
Quando o próprio Cornélio explicou o que tinha acontecido, desde a aparição do anjo do Senhor até aquele momento, Pedro entendeu todo o mistério. No início de sua pregação, Pedro revela que: “Agora eu sei que, de fato, Deus trata a todos de modo igual, pois ele aceita todos os que o temem e fazem o que é direito, seja qual for a sua raça.” (At. 10.34-35).
Deus mostra que Seu amor é impessoal e independe de etnia, raça, cor, sexo etc, quando encheu a todos os que ali estavam com o Espírito Santo. Outros judeus que acompanharam Pedro desde Jope até Cesareia, ficaram surpreendidos como os “não judeus” também tinham recebido o poder e o revestimento do Espírito Santo (At. 10.45).
Esse trecho bíblico nos mostra que Deus ama a todos os povos e que Seu desejo é que todos aceitem o sacrifício vicário de Jesus Cristo e com isso alcancem sua salvação e que a ação social toca diretamente ao coração de Deus e isso nos abre as portas das bênçãos.
Portanto, é nossa obrigação, enquanto cristão, fazer a ação social de forma constante e não fazer distinção entre pessoas.
Que o Senhor nosso Deus possa continuar nos abençoando.
Amém!!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário